"Acertar é humano , persistir no acerto é qualidade"
Notícia publicada em 30/10/2014

Detroit busca selo verde do I.Q.A

Diversos aspectos como reciclagem, descarte correto de peças e processos ecologicamente corretos serão avaliados para a certificação. Empresas que atenderem os requisitos receberão o Selo Verde.

 

A certificação atesta que as oficinas e centros de reparação possuem processos ambientalmente sustentáveis e contam com procedimentos de descarte e reparos adequados.

“Hoje, em qualquer área, buscam-se soluções eficientes que causem menos impactos na natureza. Na área da reparação, isso significa se preocupar com o descarte de peças, fluidos, reutilizar peças e reciclar. Ações que trarão benefícios diretos não só para a empresa, mas para a sociedade como um todo”, destaca o engenheiro Mário Guitti, superintendente do IQA. O objetivo do Selo Verde IQA-CESVI também é inserir o mercado da reparação na questão ambiental.


O novo escopo de certificação das entidades vai analisar requisitos específicos voltados às questões ambientais em funilaria, pintura, mecânica e administração. “O automóvel é um dos produtos que também poluem o meio ambiente, desde o desenvolvimento até quando chega ao mercado e vai para a reparação. Neste ponto, inúmeros procedimentos são nocivos ao meio ambiente, como o descarte de peças sem critérios corretos, fluídos, pneus, pintura, lavagem de equipamentos, entre outros. A certificação vai atestar que a empresa realiza processos de reparação adequados, que causam menos impactos”, destaca Mário Guitti.


Requisitos - Dentro da funilaria, será analisado se a empresa faz o descarte correto de peças plásticas, metálicas e de vidro, materiais que devem ser retirados ou encaminhados para empresas de reciclagem credenciadas e registradas por entidades reconhecidas. “Além disso, os equipamentos utilizados podem contribuir para um maior ou menor impacto ao meio ambiente. A certificação exige equipamentos que diminuem os danos à natureza, como a solda MIG/MAG e aspirador com filtro”, ressalta Sérgio Ricardo Fabiano, superintendente de Negócios do CESVI BRASIL.

Na pintura, será verificado se a empresa desenvolve processo de reciclagem do solvente, utilizando-o para lavagem de pistolas de pintura ou peças, além de checar o descarte correto de materiais contaminados, como embalagens de tinta, papel de mascaramento e estopa. Alguns equipamentos são obrigatórios, como a cabine de pintura com sistema de filtragem, com substituição do filtro de acordo com as especificações do fabricante, e pistola HVLP, que economiza tinta. “Outros itens nós recomendamos, como o processo de pintura à base de água, que é menos nocivo”, destaca Sérgio Ricardo Fabiano.

Mecânica – Na mecânica, requisitos como sistema adequado de lavagem de peças (não agressivo ao meio ambiente) e descarte adequado de peças serão verificados. “Outro ponto importante, mesmo que não obrigatório num primeiro momento é possuir um sistema de decantação de óleo”.


A mistura da água com óleo, proveniente da lavagem de motores, vai muitas vezes direto para o esgoto, contaminando o lençol freático. “O sistema de decantação de óleo faz o trabalho da separação, jogando no esgoto a água limpa e num outro recipiente o óleo coletado, que depois pode ser vendido”, explica Mário Guitti.

Outro ponto importante, segundo Mário Guitti, é a reutilização da água da torneira, chuveiro e da chuva para limpeza das áreas que não necessitam de água limpa. “A idéia de se criar recomendações como essas e outras, como utilizar telhas transparentes para economizar energia e diminuir quantidade de lâmpadas acesas, é justamente para gerar essa consciência ambiental e inserir o segmento nesta questão, além de alertar os próprios consumidores”, diz.


De acordo com o engenheiro do I.Q.A, é fundamental que a administração tenha comprometimento quanto aos aspectos ambientais e separação de resíduos.

“Só assim essa consciência poderá ser implantada na empresa de maneira efetiva”, acrescenta. Para tanto, é preciso que a administração desenvolva um planejamento, treinamento e conscientização dos seus funcionários e, além disso, atente-se para cumprir a legislação ambiental vigente na região em que atua.

As oficinas que atenderem a todos os itens de preservação do meio ambiente recomendados na certificação ganham o selo de reconhecimento público do seu trabalho, o Selo Verde I.Q.A-CESVI, reconhecimento que poderá ser divulgado para todos os seus clientes.